Dócil, obediente e comportada.
Acata a o todos os comandos.
É muito alegre e interage muito bem outros animais, e ama crianças.
Ela é castrada e aceita muito bem acessórios.

COMPANHEIRA,OBEDIENTE,EDUCARDA,SE DAR BEM COM TODOS TIPOS DE ANIMAIS ,ADORA CRIANÇA,

Muito carinhosa,companheira,obediente,
Educada ,dar bem com todos os bichos ,não ataca ,não morde.inteligente . Adora crianças

Mia é uma linda Samoieda, muito dócil, simpática, amante de crianças e adestrada.
Adora brincar, correr e é muito fotogênica.
É saudável, higiênica.
Impossível não se apaixonar.

Um filhote de JRT aprendendo e desbravando o mundo, acabou de tomar todas as doses da vacina e está conhecendo e descobrindo seu mundo fora da sua bolha, apesar de filhote ele é muito leal ao seu tutor , já identificando como seu protetor quando percebe algo diferente ou até medo do que está vendo.

Zeus é um gato angorá adotado
Tem em média entre 2 a 3 anos. Super dócil sociável adora humanos e animais. Super comunicativo adora miar e brincar. Seus brinquedos favoritos são varetas com pluma na ponta e túneis
Ama comer e assistir tv.

Bella é Sptiz alemão anão cor branco neve, uma ursinha extremamente dócil e carinhosa.
Ela é muito meiga, adora companhia e carinho.

Jade Carla é uma bebezinha cheia de energia, feliz, brincalhona.

Luke é um filhote muito inteligente, brincalhão, fotogênico, dócil e faz sucesso por onde passa.Por ele ser maltês mini os traços dele são bem delicados.

Brincalhão, carinhoso, extremamente inteligente. Adora trazer bolinhas de papel para que possa pegar de volta. Pensa que é cachorro.

Muito dócil, calmo, ama roupinha, adereços, carinho, petisco e brincar.

“Ah sim! Tem uma branquinha de olho azul, vou buscar ela” disse a funcionária do Canil Municipal, quando flexibilizei minha opção de sempre adotar macho.

Já veio com nome decidido: “Carmela”, inspirado em um programa de TV local. Ganhou vários apelidos, e uma alcunha: Miss Pandemia, por ter sido adotada em fevereiro de 2020 e sido nosso esteio emocional para suportar este período.

Já invadiu aula à distância, me lambendo em frente aos colegas, através da câmera; aprendeu a tocar instrumento, uma galinha de brinquedo (ela esmerilha!).

Saiu no jornal duas vezes (primeiro com a minha irmã, depois comigo com direito a bolo e vela de 2 anos), além de programa de tv em rede nacional.

Ganhou 2 canecas, como podem ver no vídeo. Video que, aliás, contem 3 áudios significativos: a forma como eu chamo a Carmela advem deste “Ô, Carmela!!”, extraído do extinto programa de cozinha exibido no RS. Além destes, gravei em forma de assovio duas cantigas que a família fez pra ela. “Carmelitinha” e “Carmelita vem, Carmelita vem…”

Em 2020, filhote, foi a fase da TV. Interaga virtualmente com os bichos do Youtube. Gostava de futebol quando no meio do ano os campeonatos retornaram. Gremista, porém fã do Everton Ribeiro, do Flamengo. Hoje em dia acompanha menos. Com os foguetes em função dos gols, sai da sala com medo (engraçado é que se retira mesmo com gol de décadas atrás, pensando ser atual).

Tem em comum com o Barth, de 11 anos: fidelidade extrema aos membros da família, e aversão a pessoas e animais dos vizinhos. Nada que a convivência de alguns dias reverta tudo, ou seja, o mesmo comportamento do Barth quando ela chegou aqui em casa.

Ainda filhote usou roupinha do Grêmio. Era do Barth que, por sua vez herdou do anterior falecido.

Lançou moda ao usar cachecol na cintura – insight que tive quando vi ela envolta num, deitada no sofá. Tem uma saia rodada rosa, que a costureira fez sob minha concepção – é gringa, mas tem um rebolado que, usando esta saia, parece dançar lambada, ou os rocks dos primórdios.

Quando eu chego em casa, se ela está deitada junto ao portão, ela corre pra sala, sobe no sofá e se apoia na janela que dá pra garagem: pra me ver passar (isso é tão romântico!!)

Respeitava o ritmo do yorkshire idoso (recém falecido) da minha irmã, quando vinha aqui em casa, nunca sendo afobada com ele.

Sabe que dez da noite é hora de se recolher para dormir: hábito próprio.

Toma água no pote e sai babando pela casa…

Retornou ao Canil onde foi adotada 2 vezes: em 2020 para a castração, e em 2021 para uma cirurgia (havia uma espécie de retenção de líquido na barriga). Estes retornos, somados à sua beleza a tornou popular entre os funcionários.

Tem uma coleção de brinquedos, a maioria meu pai acha na rua. Fizemos uma caixa, com os dizeres: “brinquedos da Carmela”. Dinossauro, côco etc., e em especial: uma bolinha vermelha com frestas, insinuante (nunca enjoa, pois sempre some e reaparece).

E sempre, SEMPRE usa coleira rosa-choque – é a marca registrada dela. Quando começa a desbotar, compramos outra, já até sabemos o número.

Aqui em casa, imaginamos ela sendo mascote para várias profissões, vestida à caráter. Enfermeira, cozinheira, mascote do futebol feminino do Grêmio, policial, etc.

Sobre as opções abaixo: algumas delas são “em potencial”, ou seja, passível de ser treinadas. Em função da Pandemia não recebemos visita no período, justamente atravessado pelos 2 anos dela (chegou com 2 meses de idade). Se destaca por aprendizado rápido: palavras e hábitos.